<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15932754\x26blogName\x3db-site\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/\x26vt\x3d-4232449209465221699', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

sábado, dezembro 17, 2005

Rádio Pirata do Ar #10

Correndo (mas devagar que a minha forma já foi melhor) o risco de me enganar, eu penso que o Porto, agremiação desportiva e azul do meu cachecol, possui pelo menos três jogadores que precisam de ser esquecidos numa qualquer digressão a Angola ou num torneio em plena América latina, de preferência numa recôndita povoação sem luz, água potável e telefone. Basta que na partida do autocarro que leva a equipa ao aeroporto, Adriaanse salte três números na contagem dos rapazes, o que não me parece uma aritmética difícil mesmo em neerlandês, e depois acene levemente a cabeça, como nos filmes de gangsters, apenas o suficiente para que o motorista perceba que pode arrancar antes que o Pepe, o Bosingwa e o César Peixoto alcancem (no seu estilo inábil) a viatura onde se sentam, por exemplo, dois argentinos que não têm culpa de nada disto.

É um plano simples e fará mais pela minha equipa do que uma centena de estágios, ainda que com Paula ou outras moças brasileiras.

Daniel M.