<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15932754\x26blogName\x3db-site\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/\x26vt\x3d-4232449209465221699', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

quarta-feira, maio 30, 2007

Barra pesada

Quando o jornal «Público» (em plena crise de meia-idade) mudou de rosto, tornando-se uma sucursal gráfica do «The Guardian», temi que viesse a desaparecer um dos mais notáveis elementos de design da sua página na rede. Mas não. A barra dos colunistas permaneceu, mantendo-se inalterado o seu estilo que podemos classificar, de acordo com a Enciclopédia das Artes Gráficas vol.1, como colagem-pré-escolar-já-está-agora-recreio (aguardo com ansiedade a venda em quiosques dos bonecos de plasticina).

Para quem não conhece a obra-prima , eisea:


É verdade que uma boa crónica exige (em geral) cabeça, tronco e membros mas não há seriedade que resista a uma foto sem pescoço como cartão-de-visita. Ora isto é bom, aligeira, faz dos assuntos europeus da Teresa de Sousa ou da História do Comunismo do Pacheco Pereira, uma espécie de livro para colorir e, com jeito, talvez possamos sentar o Vital Moreira e o Pulido Valente na mesma carteira, ao fundo da sala, a ver se a letra dos dois melhora e se aprendem de vez a tabuada dos nove.
Eu gosto muito desta barra no site do «Público» mesmo sem saber se a pessoa que a concebeu tem mais de cinco anos de idade. Ela, onde quer que se encontre (no infantário O Popas ou em Saint Martins College), tem e terá a minha admiração mais profunda, aproximadamente 750 metros abaixo da linha do mar.