<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15932754\x26blogName\x3db-site\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/\x26vt\x3d-4232449209465221699', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

terça-feira, julho 31, 2007

Re: Bolo e Bond

Pelo contrário, Sérgio. Não houve overacting nenhum mas sim um clamoroso underacting. Bem sei que os Cake não editam um disco há anos e, se calhar, o vizinho que emprestava a garagem já bateu a bota e os ensaios são escassos: domingo sim, domingo não. Depois há sempre mil maneiras de perder listas telefónicas nas mudanças de casa e é um azar tramado se, com elas, vão também os contactos de todos os baixistas amigos. Mas, digo eu, talvez não fosse necessário subir ao palco com um elemento incapaz de fazer um playback decente quanto mais de executar, assegurando um mínimo de competência, aquelas exuberantes linhas de baixo dos Cake. Em resumo: o pseudo-baixista (ligeiramente recuado em palco, numa propositada semi-obscuridade) passou uma hora e tal a passear os dedos na guitarra baixo de modo a conseguir a sincronia possível com o som que vinha sei lá de onde. O efeito, para terem uma ideia da tragédia, é semelhante a assistir a um episódio dos «Soldados da Fortuna» com aquelas dobragens manhosas em português do Brasil só que sai mais caro e não há helicópteros.

Por outro lado, não me custa nada concordar com a tua escolha do «From Russia with love» (versão Count Basie) como o melhor tema de todos os 007. Se for preciso daqui a uns tempos escolhemos outro. No entanto, é capaz de ter mais piada encontrar as melhores «tinha-tudo-para-ser-uma-Bond-song» do que fazer um ranking com as que existem. Aproveito assim esta oportunidade para lançar o primeiro «passatempo de Verão b-site/Melofobia» (não sei se estou a abusar) convidando os interessados e os desinteressados a enviar sugestões de músicas que poderiam ter feito parte da banda sonora de um dos filmes do 007 mas que nunca foram utilizadas com esse propósito. Sugestões devem ser enviadas por e-mail e serão publicadas aqui se não se revelarem muito desajustadas (um pouco aceita-se) ao teor da proposta. Daqui a umas semanas (dez florestas a menos em Portugal) colige-se tudo e faz-se uma lista como deve ser. Para servir de mote, lanço uma primeira música com evidentes elementos Bond na melodia e nos arranjos (pormenor para o qual fui alertado, por um amigo, há uns valentes meses atrás):


A-ha : «Hunting High and Low»


Note-se que as A-ha contribuíram para a banda sonora do filme «The Living Daylights» mas não com esta música. Segundo as regras que acabei de inventar, essa condição não determina nenhuma incompatibilidade nem impede os A-ha de constar nesta lista.