<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15932754\x26blogName\x3db-site\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/\x26vt\x3d-4232449209465221699', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

sábado, setembro 29, 2007

Metade

Como tudo o que acontece, também isto poderia não ter acontecido mas o facto é que conheci uma vez uma rapariga que, por ser o assombroso resultado das cambalhotas de um homem britânico na cama de uma madrilena, era aquilo a que habitualmente se chama uma rapariga meio inglesa, meio espanhola. Enquanto eu conversava com a metade espanhola, a metade inglesa dedicava-se, resoluta, a trazer-nos cervejas. Era prático. Ora a metade inglesa não só cumpria a nobre tarefa de nos servir umas pints como também as pagava e isso, atendendo aos preços dos pubs londrinos, é muito mais belo que a Vénus de Milo. No entanto, para que pudesse transportar as cervejas do balcão até à nossa mesa - era inevitável - a metade inglesa levava sempre consigo os braços. Foi pena. A certa altura, ia jurar que a metade espanhola me quis abraçar.