<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15932754\x26blogName\x3db-site\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://thebsite.blogspot.com/\x26vt\x3d-4232449209465221699', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

terça-feira, setembro 23, 2008

On the road

Ouvir o quê, ao volante? Uma grande música pode não ser uma grande música para ouvir no carro e uma grande música para ouvir no carro pode nem sequer ser uma grande música. Bem sei que esta frase, um tanto confusa se olhada de viés, como deve ser olhada, não vai ajudar muito a lançar luzes fortes sobre esta questão que atravessa, em velocidade rock'n'roll, o coração ilícito, a mão dj e até o braço esquerdo (o mais moreno) do cidadão proprietário de veículo automotor. Uma questão que tem, no seu caroço, uma certa complexidade, apesar do modo tosco como aqui foi apresentada às amáveis pessoas que nos visitam. Felizmente, para todos, não me vou alongar.